terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Atitude Brasileira

Esse post será em homenagem a uma pessoa que foi muito especial para mim, que me ensinou muita coisa, meu segundo pai, Alberto Giacomo Dettori que infelizmente faleceu ontem na madrugada do dia 18 aos 48 anos.

"Sorria, embora seu coração esteja doendo
Sorria, mesmo que ele esteja partido
Quando há nuvens no céu
Você sobreviverá..." Charles Chaplin.

Segue abaixo o texto sobre política escrito pelo homem que será eternamente amado e lembrado, não só por mim, mas também pela minha mãe, meu irmão e outras pessoas que admiravam a sua bondade, coragem, atitude e amor...


Atitude Brasileira, por Alberto Dettori.

Fico pasmo (não sei se existe uma palavra mais contundente) em ver a reação do povo brasileiro para com as atitudes dos nossos queridos políticos. 

Denuncias diárias envolvendo estes caras e os seus amigos e parentes fazem parte pelo menos do 60 % das noticias veiculadas pelas mídias brasileiras. Qual é a reação do povo, ou seja, das vitimas de roubo? 
1 – Se reúnem nos botecos (botecos!! Não clubes privados cuja mensalidade é alta) para tomar as suas pingas (pinga!! Não wisky importado) e sonham com uma vida de político de maneira tal de poder roubar igual a eles e entre as outras coisas serem deixados em paz das suas mulheres e esposas podendo arcar com as varias despesas para deixá-las contentes. 
2 – Se reúnem nas Igrejas pedindo ao Senhor que de um jeito nestes sem vergonha sem considerar o fato mais importante: a cobiça faz parte da conseqüência da queda de Adão e Eva, por isso Deus não vai fazer mais nada, está cansado de ver tanta falcatrua. Ele vai pensar em você só depois de morto. Não adianta!! 
3 – As mulheres se reúnem em volta do tanque de lavar roupa (tanque!! Não cabeleireiro) e a frase mestra é: “Ah!! Se meu marido tivesse estudado para poder se meter em política; eu poderei...”. Os pontinhos deixam espaço a muitíssimos desejos e sonhos que poderiam ser realizados se o marido fosse um político, metáfora para dizer “Ah!! Se meu marido pudesse roubar igual aos políticos...”. 
As explicações de tanta falta de reação a tanta roubalheira são muitas. Eu aqui queria sublinhar uma delas: o povo brasileiro tem fome; fome de justiça também, mas principalmente fome no estrito sentido do termo. O povo brasileiro trabalha mas ganha muito pouco e por isso deve preocupar-se em colocar comida em casa para si e a própria família e pagar as varias contas do mês, sendo obrigado assim a desviar a própria atenção para saciar a sua fome de justiça. Ou seja, não pode se interessar onde e como tal político gastou o dinheiro que roubou porque já está muito ocupado em tentar gastar com juízo o pouco dinheiro que ganha. Resumindo os espertos políticos criaram uma política salarial tam apertada para o bolso do povo de maneira tal de não deixar tempo suficiente para pensar em coisa fazem os governantes. “Vamos deixar o povo ocupado em sobreviver assim não pensam em nos!!” 
Faço parte de uma geração que viveu o ’68 francês; o povo protestava de verdade, não se limitava a choramingar em frente a um copo de pinga; batia pra valer, fazia sentir a sua voz, conseguia fazer valer os seus direitos, não sonhava em serem políticos para roubar, sonhavam em se tornar sociólogos para poder estudar sistemas políticos humanitários que levassem a igualdade social; existia moral e respeito para com os outros. 
Quando este pais verá a justiça e o povo poderá pensar em cuidar que os governantes sejam justos?

Alberto Giacomo Dettori, Eterno em nossos corações.

Receber Atualizações por E-mail

Coloque seu endereço de E-mail:

Delivered by FeedBurner

Follow by Email