quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Troféu Velho


Todo humano gosta de se sentir importante
Isso pode ser bom ou ruim
Nada de mal em ter seus troféus na estante
Mas não podiam se deixarem assim

Agora a angústia toma conta de mim
Não foi como eu imaginava
Quem diria que esse seria o fim

No porão, aquele velho troféu enferrujava
Na cidade, aquele louco se rastejava
No coração, aquele amor morria, acabava
Na mente, a esperança de se encontrarem crescia
De limpar, de voltar pra estante um dia

Quanta esperança, quanta fantasia
Quanta loucura, alucinação, dor que sentia
E ficam ali pensando
Sou único e louco de continuar amando?

Receber Atualizações por E-mail

Coloque seu endereço de E-mail:

Delivered by FeedBurner

Follow by Email