sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Transição e sinestesia


Eram seis e meia da tarde de um verão, fomos presenteados com uma chuva deliciosa, ela veio, fez o seu trabalho e foi embora, deixou o ar purificado, refrescou o clima e de uma maneira mágica fez um par com a música que eu estava ouvindo, os sons se misturavam como se fosse uma coisa só, a magia do som trazia alegria e chuva com Pink Floyd.

Quando a chuva foi embora, pareceu que levou muita coisa com ela, mas algumas coisas ficaram, eu comecei a escutar a segunda de Mozart e percebi que o sol já estava se pondo.
Os tons das flores pareciam mais fortes, as cores estavam mais vivas, uma mistura de vermelho com laranja, as flores incendiavam o verde da árvore e roubavam todo o brilho, ofuscava qualquer coisa que estivesse por perto.
Os galhos balançavam com o vento sobre o telhado em frente a minha janela, dançando em ritmo de música clássica, parecia que iriam invadir meu quarto, tinha a impressão que seria convidado pra uma valsa psicodélica natural.

Comecei a sentir um aroma perfumado e muito agradável, mas eu não sei se o cheiro vinha das cores ou da música, tanto faz, de repente meu maior desejo era só mais um copo de café pra tudo ficar perfeito.

Depois anoiteceu, a lua substituiu o sol, e eu fui em busca de luzes, pessoas e energia.

Pinky Floyd - Echoes
Mozart - Segunda Sinfonia



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receber Atualizações por E-mail

Coloque seu endereço de E-mail:

Delivered by FeedBurner

Follow by Email